Murcha de Fusarium

  • Sintomas

  • Causador

  • Controle biológico

  • Controle químico

  • Medidas preventivas

Murcha de Fusarium

Fusarium oxysporum

Fungo


Resumo

  • Sinais de murcha surgem durante o dia.
  • O tecido vascular (dentro do caule) fica manchado de marrom ou vermelho.

Hospedeiros(as):

Videira

Feijão

Pimentão e Pimenta

Ervilha

Pepino

Abóbora

Abobrinha

Tomateiro

Repolho

Feijão-mungo

Feijão-guandu

Grão-de-bico

Algodoeiro

Cebola

Alho

Melão/Melancia

Lentilha

Sintomas

Esses fungos apresentam padrões de danos específicos para cada cultura. Em alguns casos, as plantas apresentam sinais de murcha mesmo em um estágio imaturo, com as folhas amarelando. Em plantas maduras, muitas vezes aparece uma leve murcha em partes das plantas. Ela é mais comum durante as horas mais quentes do dia. Mais tarde, as folhas ficam cloróticas, frequentemente apenas em um dos lados. Seções longitudinais dos caules exibem uma descoloração vermelho-amarronzada dos tecidos internos, primeiro na base, depois mais para cima.

Causador

A murcha de Fusarium cresce no tecido de transporte das plantas, afetando o fornecimento de água e nutrientes. As plantas podem ser infectadas diretamente via ápice radicular ou através de ferimentos nas raízes. Uma vez estabelecido na área, o patógeno permanece ativo por vários anos.

Controle biológico

Vários agentes biológicos de controle, incluindo bactérias e o próprio F. oxysporum não patogênico, que competem com os patógenos, têm sido empregados para o controle da murcha de Fusarium em algumas culturas. O Trichoderma viride também pode ser usado para tratar as sementes (10g/kg de sementes). Alguns solos inibem o crescimento de Fusarium. O ajuste do pH do solo para 6,5 a 7 e o uso de nitrato ao invés de amônio como fonte de nitrogênio podem reduzir a gravidade da doença.

Controle químico

Sempre considere uma abordagem integrada com medidas preventivas e tratamentos biológicos, se disponível. Aplique fungicidas à base de solo nas áreas contaminadas se outras medidas não forem eficazes. Umedecer o solo com oxicloreto de cobre a 3g/l de água antes da semeadura/transplante também é eficaz.

Medidas preventivas

  • Plante variedades resistentes.
  • Monitore e remova plantas afetadas.
  • Mantenha os seus equipamentos limpos e evite lesões nas plantas.
  • Rotações de até 5-7 anos podem reduzir os níveis de fungos no solo.
  • Ajuste o pH do solo para 6,5-7,0 e use nitrato como fonte de nitrogênio.
  • Aplique a dose recomendada de fertilizante de potássio.
  • Cubra a área infectada com uma lona preta a pleno sol (solarização) durante um mês para matar os fungos.
  • Are e queime resíduos vegetais após a colheita.