Mancha-bacteriana do Tomate

  • Sintomas

  • Causador

  • Controle biológico

  • Controle químico

  • Medidas preventivas

Mancha-bacteriana do Tomate

Xanthomonas spp.

Bactéria


Resumo

  • Pequenas lesões amarelo-esverdeadas aparecem em folhas jovens.
  • As folhas são deformadas e torcidas.
  • Lesões escuras e encharcadas com uma aréola amarela na folhagem e frutos mais velhos.

Hospedeiros(as):

Tomateiro

Sintomas

Estas bactérias atacam a folhagem, caules e frutos do tomateiro. Os primeiros sintomas são pequenas lesões amarelo-esverdeadas nas folhas jovens, que geralmente parecem deformadas e torcidas. Na folhagem mais velha, as lesões são limitadas pelas nervuras, adquirindo um aspecto angular ao longo do tempo. Elas são primeiro verde-escuras, gordurosas na aparência, e muitas vezes rodeadas por uma aréola amarela. Geralmente, elas aparecem em mais quantidade nas margens ou nas pontas das folhas. Se as condições forem favoráveis, elas aumentam rapidamente para um tamanho de 0,25 a 0,5 cm de largura e ficam castanho-avermelhadas. Eventualmente, as manchas se parecem com buracos de tiro porque o centro seca e se desintegra. As manchas em frutos (até 0,5 cm) começam como áreas verde-claras, encharcadas, com uma aréola amarela e, eventualmente, tornam-se ásperas, castanhas e com cicatrizes.

Causador

A mancha-bacteriana é causada por várias espécies de bactérias do gênero Xanthomonas. Ela ocorre em todo o mundo e é uma das doenças mais devastadoras em tomates cultivados em ambientes quentes e úmidos. O patógeno pode sobreviver dentro ou sobre sementes, restos culturais e ervas daninhas específicas. Ele tem um período de sobrevivência muito limitado, de dias a semanas no solo. Quando as condições são favoráveis, se espalha através da chuva ou irrigação por aspersão em plantas saudáveis. Ele entra nos tecidos da planta através de poros e feridas. As temperaturas ideais variam de 25 a 30 °C. Assim que a cultura é contaminada, a doença fica muito difícil de ser controlada e pode levar a perdas totais da cultura.

Controle biológico

A mancha-bacteriana é muito difícil e cara para ser tratada. Se a doença ocorrer no início da temporada, considere destruir toda a cultura. Bactericidas contendo cobre fornecem uma cobertura protetora na folhagem e nos frutos. Vírus bacterianos (bacteriófagos) que matam especificamente essas bactérias estão disponíveis. Mergulhar as sementes por um minuto em 1,3% de hipoclorito de sódio ou em água quente (50 °C) por 25 minutos pode reduzir a incidência da doença.

Controle químico

Sempre considere uma abordagem integrada com medidas preventivas junto com tratamentos biológicos, se disponível. Bactericidas contendo cobre podem ser usados como protetores e conferem controle parcial da doença. Aplique no primeiro sinal da doença e depois em intervalos de 10 a 14 dias, quando condições quentes e úmidas prevalecem. Como o desenvolvimento de resistência ao cobre é frequente, uma combinação de bactericida à base de cobre com mancozeb também é recomendada.

Medidas preventivas

  • Plante sementes certificadas e livres de doenças.
  • Use variedades resistentes.
  • Inspecione, remova e queime qualquer muda com manchas foliares.
  • Remova ervas daninhas dentro e em torno do campo.
  • Cubra o solo com folhas para evitar a contaminação dele para as plantas.
  • A rotação de culturas de 2-3 anos é recomendada.
  • Evite a irrigação por aspersão e evite trabalhar nos campos quando a folhagem estiver molhada.
  • Are ou remova restos culturais após a colheita.
  • Limpe ferramentas e equipamentos.
  • Planeje uma solarização dos solos após a colheita.