Mosca-da-Grama-Bermuda

  • Sintomas

  • Causador

  • Controle biológico

  • Controle químico

  • Medidas preventivas

Mosca-da-Grama-Bermuda

Atherigona sp.

Inseto


Resumo

  • A larva se alimenta dos brotos de jovens mudas em crescimento, resultando em corações mortos.
  • Pequenos cortes circulares são visíveis no ponto de entrada em novos brotos.
  • As folhas ficam verde-amareladas e caem, e as mudas são atrofiadas.

Hospedeiros(as):

Trigo

Milheto

Sorgo

Milho

Lentilha

Sintomas

A larva se alimenta dos brotos de jovens mudas em crescimento, resultando em corações mortos no trigo e no milho. Pequenos cortes circulares são visíveis no ponto de entrada em novos brotos, geralmente logo acima da primeira bainha de folhas. Os sintomas de danos ficam mais proeminentes nas folhas emergente 6-7 dias após a infestação. As folhas cortadas ficam verde-claras ou verde-amareladas e caem, dobrando-se para dentro a partir das margens. Mudas gravemente infestadas murcham, o crescimento terminal cessa e a planta permanece atrofiada. Normalmente, apenas uma larva é encontrada por muda, embora mais ovos possam ser depositados pelas fêmeas.

Causador

O dano é causado pelas larvas de uma série de moscas do gênero Atherigona. Estas pequenas moscas cinzentas são polífagas e atacam culturas principais, como do trigo, milho e sorgo. Outras plantas, como de pimentas, feijões ou lentilhas, também podem ser afetadas. As fêmeas colocam os ovos individualmente, ou mais raramente em pares, nos caules ou no solo próximo à base das mudas (o estágio de 3-4 folhas é o preferido). A aplicação de esterco animal no solo parece atrair mais moscas fêmeas e aumentar a ovoposição. As larvas recém-emergidas são cilíndricas e brancas. Elas sobem pela planta e usam seus ganchos para mastigar as partes delicadas das novas brotações, geralmente logo acima da primeira bainha de folhas. A pupação geralmente ocorre na base do caule. Estas moscas podem ser uma praga muito prejudicial na agricultura da Ásia Central e no Sudeste Asiático.

Controle biológico

Até hoje, nenhum controle biológico para essa praga é conhecido. Por favor, entre em contato conosco se você souber de algum.

Controle químico

Sempre considere uma abordagem integrada com medidas preventivas junto com tratamentos biológicos, se disponível. Atualmente, as recomendações para suprimir infestações nas plantações são de semear de forma antecipada para evitar populações de pico desses insetos. O uso de inseticidas piretróides também pode ajudar a controlar populações.

Medidas preventivas

  • Escolha variedades tolerantes, se disponíveis.
  • Em alguns casos, a semeadura antecipada pode, às vezes, permitir que a cultura passe pelo estágio vulnerável (mudas jovens) antes do pico de emergência da mosca.
  • A semeadura tardia também foi comprovada por reduzir a incidência do coração morto no milho.
  • Evite a aplicação de esterco animal após a emergência das plantas.